Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Uma democracia em colapso

por pauloconde, em 01.09.09

 

É o descalabro! Um país inteiro em colapso moral e social. Um verdadeiro “patricídio”! Esta pátria oitocentista vandalizada e escarnecida, sem o mínimo remorso ou pena, sem um laivo de respeito, à memória dos que a edificaram em busca de um sonho e de uma identidade própria.
Já dizia Alexis Carrel “São sobretudo a fraqueza intelectual e moral dos governantes e a sua ignorância que põe em perigo a nossa civilização”. E ainda ele não sabia, que esses ignorantes mas não ingénuos, seriam capazes de corromper e esbanjar o erário público, legislar a favor de criminosos e delinquentes, provocar a degradação social e moral, com tudo sempre bem orquestrado por uma horda de bandoleiros para que o marketing falacioso e torpe funcione e transpareça a boa fé sempre em prol dos interesses da pátria.
São promiscuidades e conluios politico/económicos a mais para uma democracia encurralada, podre e sem cura possível.

 

 

Paulo Conde - Diário de Noticias - 2009

 

 


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:01


3 comentários

De Biranta a 10.12.2009 às 23:42

"uma democracia encurralada, podre e sem cura possível"
Discordo, EM ABSOLUTO! Nada, na sociedade, é "sem cura possível"!
Todos os problemas têm solução... e as soluções aparecem DESDE QUE SE COLOQUEM AS PESSOAS CERTAS NOS LUGARES CERTOS;
isto é: DESDE QUE HAJA, realmente, DEMOCRACIA.
Essa é a grande superioridade da democracia: permitir que cada um seja tão útil à sociedade quanto o permitem as suas capacidades. E, no conjunto dos indivíduos duma sociedade EXISTEM, sem qualquer margem para dúvidas, TODAS as "capacidades" necessárias à resolução dos problemas dessa mesma sociedade.

Isto é verdade, é uma VERDADE ABSOLUTA, independentemente de cada um o perceber ou não, independentemente de cada um saber, ou não, como resolver os problemas. IUsto permite-nos concluir que, mesmo que nós não saibam,os como resolver este ou aquele problema, de certeza que existe quem saiba.
Isto premite-nos ser exigente com quem ocupa os cargos e não resolve os problemas nem permite que outros resolvam; permite-nos SER TÃO EXIGENTES QUANTO É NECESSÁRIO, com essa escumalha que nos (des)"governa": os políticos... e os outros

Quanto ao resto concordo com a análise.
Deixo este comentário e convido-o a visitar o meu blog e a analisar a minha proposta de alteração do sistema eleitoral e de VALORAÇÃO DA ABSTENÇÃO, porque me parece inútil criticar sem apontar um caminho, ou afirmando, como faz neste seu texto, que não há saída.
Para baralhar e confundir, para encurralar as pessoas levando-as a aceitar, resignadas ou desesperadas e deprimidas, a negra realidade que retrata, bastam os políticos e os outros da mesma igualha, mais a sua propaganda NAZI, que tão bem caracteriza neste seu texto.
É urgente que os inconformados, os resvoltados, os indignados, dêem um passo em frente.

De Vítor Ramalho a 22.12.2009 às 19:49

Temos de sair para a rua e gritar.

De Maria a 12.10.2010 às 10:22

Que volte a monarquia! fartinha desta república das bananas! Já tivemos 3, nenhuma funcionou. A monarquia constitucional de 1834 a 1910 funcionou melhor. Depois vieram os assassinos e corruptos. E aqui estamos.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Setembro 2009

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2004
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2003
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2002
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D
  248. 2001
  249. J
  250. F
  251. M
  252. A
  253. M
  254. J
  255. J
  256. A
  257. S
  258. O
  259. N
  260. D
  261. 2000
  262. J
  263. F
  264. M
  265. A
  266. M
  267. J
  268. J
  269. A
  270. S
  271. O
  272. N
  273. D
  274. 1999
  275. J
  276. F
  277. M
  278. A
  279. M
  280. J
  281. J
  282. A
  283. S
  284. O
  285. N
  286. D
  287. 1998
  288. J
  289. F
  290. M
  291. A
  292. M
  293. J
  294. J
  295. A
  296. S
  297. O
  298. N
  299. D
  300. 1997
  301. J
  302. F
  303. M
  304. A
  305. M
  306. J
  307. J
  308. A
  309. S
  310. O
  311. N
  312. D
  313. 1996
  314. J
  315. F
  316. M
  317. A
  318. M
  319. J
  320. J
  321. A
  322. S
  323. O
  324. N
  325. D