Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O livro dos horrores

por pauloconde, em 11.11.09

 

Não é preciso ser sacerdote, vigário, prelado ou prémio Nobel para entender perfeitamente o que está escrito na bíblia sagrada da Igreja Católica Apostólica Romana. Basta ler o manual do principio ao fim, para perceber que é a história ardilosa e meticulosamente montada pelo homem ao longo de séculos, de um Deus terrorista, vingativo e medonho, para manter os povos amedrontados e assim dominá-los social e moralmente ( Cruzadas, Inquisição, 2ªGuerra Mundial, Ruanda, Pedofilia, etc...) Aliás, as palavras morte, holocausto e guerra são das mais utilizadas provocando um incentivo à violência e ao sacrifício de vidas por um Deus ("E o Senhor ordenou: destruam totalmente, ao fio da espada, desde o homem até á mulher, desde o menino até ao velho..."). Talvez por isso na catequese apenas sejam mandadas ler, partes do novo testamento, esse pequeno apêndice que a Igreja adoptou depois de ter crucificado Cristo, só porque ele morto fisicamente se tornou mais poderoso do que vivo.
Cristo disse aos Fariseus, Vigários e Prelados: "Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos do vosso pai: ele foi homicida desde o principio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira." E por isto  Cristo foi crucificado.
A Igreja Católica é promiscua e contraditória tendo construído o seu reino à custa do analfabetismo e iliteracia. Para recrutar novos seguidores utiliza o novo testamento e para manter a sua influência e ostentação escuda-se no velho testamento. É por isso que o pobre ajuda o pobre e o Vaticano é materialmente cada vez mais rico.
Católico ou Cristão? Eis a questão!

 

 Paulo Conde - Revista Sábado - 2009

 

Cesare Battisti - mártir e terrorista segurando o seu manual

 

pt.wikipedia.org/wiki/Cr%C3%ADticas_%C3%A0_Igreja_Cat%C3%B3lica

 

«As populações não têm culpa de terem sido mal preparadas, mal informadas, de não terem sido esclarecidas ao nível da fé», disse à Lusa o padre, defendendo que Fátima é «o expoente máximo da alienação e da idolatria».

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:25


7 comentários

De Inês Soares a 26.11.2009 às 23:04

Posso perguntar-lhe se alguma vez leu a Bíblia do principio ao fim?

De pauloconde a 26.11.2009 às 23:23

Cara Inês Soares obrigado pelo seu comentário. Já li a biblia mais do que uma vez do principio ao fim e há 6 anos que a estudo. Para além disso tenho ascendência familiar que frequentou o seminário. Só assim poderia emitir um parecer e fazer um juizo de valor. (Paulo Conde)

De P Henrique a 29.11.2009 às 17:45

Boa analogia Paulo...Concordo em pleno... e em resposta... Cristão! Sem dúvida...

De pauloconde a 29.11.2009 às 17:55

Obrigado P Henrique pela sua participação!

De Filipe Guedes Ramos a 11.12.2009 às 12:45

Excelente texto. Gostei da lucidez com que fala e destrinça meai dúzia de dogmas.
Ainda bem que sou ateu! :)

De pauloconde a 13.12.2009 às 13:54

COMENTÁRIO COLOCADO NO FACEBOOK POR ANA NASCIMENTO

"Por isto me afastei da Igreja, eu que ia à missa e até pertenci a um coro. Enquanto que os bons e verdadeiros cristãos se esfalfam ao serviço do seu próximo e em culto a Deus, os Papas e associados calçam Pradas e discutem mamarrachos de luxo apelidando-os de "catedrais". Não admira que Deus esteja Fulo connosco! Então as beatas, vai lá vai, tudo a sugar!
Se a hierarquia católica quer que os fiéis imitem a Cristo, dêem o exemplo: despojem-se JÁ das riquezas, do tráfico de influências, começando por indemnizar as vítimas de pedofilia de certos padrecos. Sigam acabando com privilégios monetários, fiscais e outros para altas individualidades, e encostem à parede os poderes políticos para que haja justiça. No meu (fraco) entender, à caridade deve seguir-se a justiça social, tirando dos obscenamente ricos para dar aos injustamente pobres."

De Nuno Resende a 15.12.2009 às 19:12

Hum?

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Novembro 2009

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2004
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2003
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2002
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D
  248. 2001
  249. J
  250. F
  251. M
  252. A
  253. M
  254. J
  255. J
  256. A
  257. S
  258. O
  259. N
  260. D
  261. 2000
  262. J
  263. F
  264. M
  265. A
  266. M
  267. J
  268. J
  269. A
  270. S
  271. O
  272. N
  273. D
  274. 1999
  275. J
  276. F
  277. M
  278. A
  279. M
  280. J
  281. J
  282. A
  283. S
  284. O
  285. N
  286. D
  287. 1998
  288. J
  289. F
  290. M
  291. A
  292. M
  293. J
  294. J
  295. A
  296. S
  297. O
  298. N
  299. D
  300. 1997
  301. J
  302. F
  303. M
  304. A
  305. M
  306. J
  307. J
  308. A
  309. S
  310. O
  311. N
  312. D
  313. 1996
  314. J
  315. F
  316. M
  317. A
  318. M
  319. J
  320. J
  321. A
  322. S
  323. O
  324. N
  325. D